Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Diante das Águas - O medo, a culpa e o ódio. A A A A

Trilogia Diante das Águas.

– CAPÍTULO 1 – O segredo –

Em uma madrugada muito silenciosa, aparentamos um mar azul, profundo, sereno e perigoso. Ao mesmo tempo, tão puro, lindo, cristalino e cheio de mistérios. Ao longo daquele mar, mora uma garota jovem, bonita e surpreendentemente sensível. Àquela hora era às quatro horas da madrugada. Ela estava dormindo em um sono profundo, mas era tão profundo que ela nunca tinha dormido assim antes. Parecia que fosse seu destino se aproximando. E nessa noite ela teve um sonho. Nesse sonho ela estava andando sobre as areias de um mar, e estava muito confusa; passando pela sua mente “O que ela estaria fazendo andando enfrente ao mar; sozinha”. Ela ficou olhando para as águas daquela praia, e naquele momento começou a ver o mar se mexendo com muita velocidade. Ela começou a ficar nervosa em ver aquilo, foi quando o mar parou de se mover sem sentido. E então ela olhou mais a frente do mar; confusa com o que aconteceu. E viu um homem olhando para ela; fixamente para ela, mas não dava para ver seu rosto, ela só via a sombra dele. Parecia que ele estava nadando, mas o que esta queria saber naquele momento era “Como ele estaria da cintura para cima no meio daquele mar”. No máximo ele ficaria do peito para cima na água. Então ela começou a andar em direção para o mar. Quando ela encostou seus pés nas águas ela acordou bastante assustada com o sonho. Ela levantou de sua cama e foi para o banheiro. Escovou seus dentes e tomou seu banho. Ao sair do banho, se vestiu e desceu para tomar seu café da manhã. —Bom dia mãe, disse ela.
—Bom dia, Clara. Tome seu café logo, hoje você acordou atrasada. O que aconteceu? Disse sua mãe.
—Nada mãe, eu acho que dormi muito tarde ontem. –Dizia Clara se sentando a mesa. —Então depois você se arruma para não perder o horário do colégio, disse sua mãe.
—Ta bom, pode deixar, disse Clara.
Quando a mãe de Clara saiu, ela ficou olhando para a janela onde viu o vento movimentando as árvores lá fora. Ela lembrou do vento que batia em seu rosto naquele sonho. Clara se levantou e foi para escola.
Chegando à escola ela viu seus amigos; eram Michael, Tatiana, Fabiana e Rafael. —Olá pessoal, disse ela.
—Oi Clara, disse seus amigos.
—Clara, hoje teremos que fazer uma revisão do filme que nós vimos na sexta. Lembra? –Dizia Tatiana empolgada com essa revisão. —Ah... Nossa eu tinha me esquecido disso Tatiana, disse Clara.
—Eu não sei nada desse filme, disse Michael desanimado.
—Na verdade você não sabe de nada Michael. –Dizia Rafael irônico com risos. —Ah... Fica quieto Rafael. –Respondeu Michael com raiva. —Relaxa pessoal. Eu tenho o filme em casa, sei de tudo que acontece nesse filme. Sentem–se perto de mim. –Dizia Fabiana um pouco entusiasmada. —Nossa Fabiana, que bom que você vai nos ajudar. –Dizia Clara aliviada com a ajuda de Fabiana. —Amigos são para isso Clara. Agora vamos, temos que chegar antes dos outros alunos. –Dizia Fabiana feliz em poder ajudar seus amigos. —Vamos. –Dizia Rafael indo para a sala junto com seus amigos.

ALESSANDRO - A.M      

Este artigo já foi lido 1250 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca