Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Diante das Águas - O medo, a culpa e o ódio. A A A A

Chegando à sala de aula, eles vêem um aluno que nunca tinham visto no colégio; ele estava quieto, misterioso, e seus olhos eram brilhantes, pareciam cristais, Clara ficou encantada com aquele garoto. Ficou apaixonada pelo o olhar dele. Ela não tirava os olhos dos olhos dele, parecia que estavam conversando com eles. — Quem é ele Fabiana? –Perguntou Rafael com a expressão de não ter gostado do novo aluno. — Não sei Rafael, disse Fabiana.
—Acho que é aluno novo, disse Tatiana.
—Também acho. Nunca o vi por aqui! E você Clara, o conhece? Disse Michael.
—Não, eu... Não, não, eu... Nunca o vi por aqui. – Respondeu Clara nervosa em ver aquele aluno. —Nossa Clara, está nervosa? Perguntou Michael.
—Não! Por que estaria?
Eles ficam rindo e se sentaram. Clara realmente ficou nervosa naquele momento, só de vê-lo ficou muito atraída por ele.
A aula começa. Durante a aula toda ele ficou olhando para ela; e ela para ele. No final da aula ele foi o primeiro a sair da sala. Ela ficou pensando que ele saiu da sala rápido por sua causa. Então ela se levantou rapidamente e foi atrás dele, para lhe perguntar “O que ela fez que o deixou irritado”. —Clara aonde você vai? – Perguntou Rafael muito surpreso com a saída dela sem aviso. —Nos vemos amanhã pessoal. –Dizia ela saindo da sala. Clara o perseguiu, mas ele sentiu que alguém estava o perseguindo. Então ele olha para trás, mas ao mesmo tempo Clara se esconde. Ela estava tão nervosa que nem sabia o que fazer e acabou se escondendo. Ele não viu ninguém e voltou a andar; mas com um sorriso discreto em seu rosto. E ela voltou a persegui-lo. –Na verdade ele sabia que estava sendo perseguido por ela, por isso sorriu. Por todo lugar que ele ia, ela também ia. Quando ela o viu indo para uma praia desconhecida. Mas essa praia era deserta e linda, e clara não a conhecia. Quando chegou a praia esse garoto misterioso tinha sumido. E ela ficou muito confusa dizendo: - Onde ele foi? O que aconteceu? Eu o vi entrando aqui, mas para onde ele foi?
Foi então que Clara olhou para o mar e lembrou do sonho que ela teve de manhã. O mar era o mesmo de seu sonho. Ela começou a ficar nervosa; com medo de acontecer o mesmo que aconteceu no sonho, ela imediatamente saiu dali.
Chegando a sua casa, ela estava bastante assustada e subiu para seu quarto. —Clara? O que aconteceu minha filha? Perguntou sua mãe.
—Nada mãe, depois eu falo com você! –Dizia Clara subindo as escadas. E diz em voz baixa: “Será que ele tem alguma coisa a ver com o sonho?” - O que você disse Clara? Perguntou sua mãe.
—Nada mãe, disse ela.
Clara ficou o resto da tarde pensando no garoto misterioso. Quando anoiteceu ela ficou olhando para a janela de seu quarto, foi quando ela viu a sombra de um homem; essa sombra estava olhando para ela. Clara ficou bastante assustada, e fechou a cortina de sua janela; com medo de que fosse um bandido.

ALESSANDRO - A.M      

Este artigo já foi lido 997 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca