Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Diante das Águas - O medo, a culpa e o ódio. A A A A

Eles começaram a rir e foram para uma loja de roupa, foram em uma lanchonete, foram a um parque de diversão e no fim do dia foram ao cinema; e o filme que eles estavam assistindo era um romance muito romântico com mistérios. —Hugo eu agradeço muito a Deus por ter lhe conhecido! Disse Clara.
—Eu também Clara, disse ele.
Naquele momento, Clara e Hugo se beijam. Fabiana e Tatiana vêem o beijo dos dois e ficam rindo. —Você lembra qual é o nome do filme? Perguntou Fabiana.
—Não! Mas vamos ver? Disse Tatiana.
—Se parece muito com a mãe da Clara essa personagem, não acha?
—É verdade!
Assim que acabou o filme, eles foram para a porta do cinema para dizer o quanto eles se divertiram. —Pessoal hoje me diverti muito! Disse Fabiana.
—Eu também! Muito Obrigada por hoje pessoal, disse Tatiana.
—É, foi ótimo o dia! Disse Clara.
—Bom... Eu já vou embora, disse Fabiana.
—Eu também, disse Tatiana.
—Espere, deixa que eu as leve para casa, disse Hugo.
—Não precisa, disse Tatiana.
—Eu insisto, disse ele.
Então Hugo leva Fabiana e Tatiana para casa delas com Clara. Chegando à casa de Clara, ela agradece Hugo por sua boa vontade. —Obrigada por levar minhas amigas para casa delas, disse ela.
—Não precisa agradecer.
—Não vimos o Pablo hoje, acho que ele desistiu de me perseguir! Afirmou Clara.
—Não. Ele só está dando um tempo para nós esquecermos, mas na primeira oportunidade ele tentará fazer alguma coisa!
—Tem certeza?
—Tenho, ele não desiste tão fácil assim.
Eles passaram a noite abraçados; Hugo deitado na cama e Clara com a cabeça em cima do peito dele. Ela passou a noite dormindo, já Hugo ficou olhando para o teto do quarto de Clara; pensando a noite toda no que fazer com Pablo para ele parar de perseguir Clara. Quando amanhece ela acorda e o vê na janela de seu quarto, ela fica confusa em vê-lo na janela. —O que faz ai Hugo? Perguntou ela.
—Eu fui ver se suas amigas estão bem.
—Você falou com elas?
—Não, eu só as vigiei!
—Você não dormiu?
—Eu não consigo dormir. Na verdade eu nunca mais dormi depois que me transformei em sereia.
—Hugo eu estou preocupada com o que está acontecendo.
—Elas estão bem, não precisa se preocupar.
—Tenho medo que o Pablo faça algum mal para Fabiana e a Tatiana ou até mesmo com você!
—Não fique preocupada, eu estou bem, suas amigas também, não tem com o que se preocupar.
—Promete que não acontecerá nada com você? Perguntou Clara.
—Eu prometo que nada vai acontecer ta bom?
—Assim me sinto melhor e menos preocupada.
—Clara, só de ontem para hoje sumiram mais três jovens aqui em Capela!
—Isso não vai passar Hugo?
—Se o Pablo continuar por aqui, isso nunca vai acabar.
—O Pablo que é responsável por todas as pessoas desaparecidas?
—Não todas, mas ele faz isso com muita freqüência, às outras sereias demoram fazer isso.

ALESSANDRO - A.M      

Este artigo já foi lido 989 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca