Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



O jardim A A A A

As vezes sinto os dedos dele me tocando
O vento...
E quando abro os olhos
Estou apenas sentada em um imenso jardim
Ouvindo o som de cada ave que lá existe
Vivo melhor de olhos abertos
Pois quando os fecho
Começo a escutar o som perturbador da rua
Mil vozes e gritos escandalosos
Vejo o escuro e imagens vãs

Quando tento abrir os olhos
Não consigo
Grito por ajuda
Mas não há ninguém

De súbito, vem me uma sensação
O frescor da brisa misturada ao calor do sol
E a brisa vai me segurando e tomando forma
Vai me puxando para mais perto das árvores
E lá me ensina a dançar
Me mostra todas as borboletas
Que nunca, jamais vi...
O som da natureza inteira junta
Em uma única música
Tudo é tão belo, tão mágico

Quando tento fechar os olhos
para não perder a lucidez,
não encontro coragem
Já me acostumei com a irrealidade

É que o perfume das rosas
Sufoca minha garganta
Com seu doce aroma
Me prende ao jardim
Pelo menos é melhor que o sufoco do mundo
Que quando eu fecho os olhos
Me sufoca com a poeira e a fumaça
Das vilezas que uma alma pode ter
Os barulhos perturbadores
E a rotina exaustiva
Ensinam que na vida
Tudo tem hora para ir e chegar

Eu tento abrir os olhos
Para ficar no jardim
Mas ao mesmo tempo
Tento fechá-los
Para não ficar na ilusão...

ERISLAZULI      

Este artigo já foi lido 1916 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca