Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Amy, a semideusa. A A A A

Há algum tempo atrás, na época do século XX...
Em uma cidade chamada Gorgos, havia uma garota chamada Amy, era considerada filha de um Deus com uma humana, o que fazia dela uma semideusa.
Amy não vivia normalmente como todos os outros, era excluída pelo fato de ser diferente.
Certo dia, saindo do colégio, o que era raro para as crianças da época, ela andava pela rua de terra que a levava diretamente a uma velha casa, uma casa de madeira, pobre, sem telhado, extremamente abandonada. Porém ela não sabia que aquela casa existia, mesmo passando todos os dias por lá, a caminho de casa.
Amy resolveu então entrar na casa para ver se era a falta de atenção que a impedia de vê-la ou alguma magia que a tornava invisível quando passara.
Ela entrou, olhou tudo, a casa tinha apenas dois cômodos, o que tornara menor ainda. Tinha somente um colchão esticado no chão corretamente com lençóis, fronhas... Isso a amedrontou um pouco, achando que haviam moradores lá. Correu, o mais rápido possível pois já estava atrasada para a janta, e ainda mais que a noite pousava. A mãe de Amy, Sra. Holy, não gostava que a filha chegasse em casa tarde. O pai, Azin, não morava na terra humana, mas estava sempre andando espiritualmente com sua filha.
A irmã mais velha de Amy, Mari, tinha raiva da irmã por não ser uma semideusa também, o pai de Mari era Jin, o burguesinho ruivo do centro da cidade.
Holy então no mesmo dia, percebeu que a filha demorava para chegar então deixou Mari terminando a janta e arrumando a casa enquanto procurava Amy.
Mari brava com a irmã por "ter feito ela trabalhar" deixou a janta queimar, a casa desarrumada e fugiu de casa, para o mais longe que ela podia ir, no caso a cidade vizinha, Krako.
Holy achou Amy correndo para casa, a pegou no colo e foi rapidamente para casa. Quando chegou, a surpresa, Mari havia fugido, como Holy já tinha passado por isso uma vez quando teve a filha Amy, imaginou o que ela poderia ter feito, fugido para a cidade de Krako, mas dessa vez foi pior. Mari tinha dinheiro, então comprou uma passagem de "maria fumaça" (trêm) para a fronteira de Karuel, mas mal sabia que a fronteira era extremamente perigosa. Karuel era um rei "sem coração" que não deixava habitantes pobres ou das cidades vizinhas entrarem ao seu reino.
Amy pensou algo. "Mari está a procura de seu pai, Jin". Holy, também havia pensado nisso após ter vasculhado a cidade de Krako inteira e não ter avistado Mari. Ela foi para o reino de Karuel, disse Holy preocupadíssima com a filha.
Holy deixou Amy em casa sozinha, pois ela tinha capacidade de se defender quando pegaram em algum instrumento musical, esse era o poder da semideusa. Holy comprou a passagem do mesmo trêm de Mari, mas não tinha visto que ela estava no banco da frente. Distraída, Mari chega na moça de trás e lhe pergunta," moça! tens umas moedas para mim pegar outro trêm?"
Holy viu que era sua filha, a abraçou, pularam a janela do trêm em movimento causando problemas com os seguranças, correram, corrreram, quando estavam perto de casa e eles atrás, Amy as avistou e começou a tomar violino em uma altura que ninguém aguentava, os seguranças foram em bora, Mari ee Holy chegaram em casa rindo de mais, pela situação.
Depois disso Holy a deu um castigo e a fez prometer que nunca mais iria fugir, que tinha a melhor irmã e mãe do mundo.
O pai de Amy, Sr.Azin, era a casa em que entrara, pois como estava velho e imortal não tinha jeito ed o enxergar, muito menos em forma de uma casa.
A família de Holy, Amy e Mari, aprenderam a viver entre si de uma maneira calma e justa. E foram felizes para sempre, pelo menos Amy e seu pai, que eram imortais e "deuses"...

POLITACP      

Este artigo já foi lido 1290 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca