Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Descobrindo meus poderes. Parte I A A A A

Contarei a seguir, como descobri meus poderes...
Era uma sexta-feira comum, eu e meus pais estávamos a assistir um noticiário sobre como a água estava tendo mau uso nos dias de hoje. Eu não prestando muita atenção porque estava no celular a ler coisas sobre Telepatia e coisas do tipo e tal, comecei a tentar apagar a luz da sala com as dicas que recebera na leitura, sem muito sucesso, e fui à cozinha beber um copo de água. Estava eu bebendo a água quando, faltou energia, voltei correndo à sala com medo. Minha mãe já segurava várias velas, me entregou uma acesa e continuou a acender algumas e colocar outras apagadas nos suportes para quando as outras apagassem e tal. Me sentei, coloquei a vela na mesinha de centro da casa e avistei 3 velas apagadas sobre a mesinha. Comecei a tentar puxar uma vela com a "telepatia" que havia aprendido. Sem sucesso novamente, desisti da tal telepatia que acreditava que todos tínhamos, e fui me sentar à mesa com meus pais. A mesa era grande e tinha vários suportes de velas espalhados pela mesa e balcão. Eu costumava chamar os suportes das velas de "Torresinha de chama", quando criança hehe.
... Já comendo meu pedaço de bife, observava o suporte no centro da mesa, que tinha duas velas acesas, mas a do meio apagada. Comecei a encarar a vela esquerda, e percebi que conforme movia o olhar a chama da vela se movia. Era tão intensa a chama da vela que pensei estar louca. Mas não, a chama movia-se conforme como meu olhar mandava. Tentei com a outra vela, sucesso! Consegui o mesmo. Meus pais nem viram, minha mãe estava vidrada no celular enquanto comia a salada de Gorts Algebros, e meu pai lia um jornal de 2 dias antes. Tentei mover a chama com o dedo indicador. De primeiro houve dificuldade, mais logo depois de tentativas, consegui. Eu me sentia feliz, sucedida e poderosa. (mesmo não sendo haha (ainda!) ) De repente um arrepio, olhei para as velas no local, olhei para as apagados, fechei os olhos e meditei em silencio mastigando o tomate com azeite na boca. Imagens das velas se acendendo vieram na mente sem querer. Ouvi o barulho das velas a se acender, um calafrio a subir os olhos e braços, abri os olhos e vi as velas, antes apagadas, agora acesas. Meus pais me encaravam assustados...

Pelo menos 100 feiticeiros a ler aqui e eu continuo a contar minha história :) beijo enfeitiçado guris feiticeiros :*

HAVENNA - HAVENNA      

Este artigo já foi lido 995 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca