Este site utiliza cookies. Ao continuar neste site autoriza a sua utilização e concorda com a Política de Privacidade e com a Política para os cookies.
Escola de Magia
Login e aceder à área de aluno
ou
Matricular-se na Escola de Magia
MENU
Entrada > Átrio principal > Átrio > Biblioteca > Textos dos Alunos



Porque é que os gatos pedem ao dono para abrir uma porta e depois não saem A A A A

O vosso gato já vos pediu para abrirem uma porta e depois não sai? O gato mia para o dono abrir a porta, mas após o dono abrir a porta o gato permanece imóvel junto à porta. O dono cansa-se de esperar e fecha a porta. Momentos depois, o gato volta a colocar-se junto da porta e mia para o dono a abrir. O dono volta a abrir a porta e o gato não sai. E a situação repete-se para exasperação do dono. Parece-vos familiar?...

Para este ciclo vicioso terminar e o vosso amigo felino sair, façam o seguinte: abram a porta, virem-se de costas e finjam que estão ocupados noutra atividade. Arrumem alguma coisa, folheiem uma página de jornal ou olhem para o telemóvel, mas resistam a olhar para a porta. Vão ver que dentro de instantes o vosso amigo felino atravessou a porta e saiu.

Porque é que isto acontece? Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o vosso amigo de quatro patas não está indeciso. O gato quer mesmo sair. Os gatos são criaturas esquivas. A sua sobrevivência depende disso. O gato é um caçador e um predador exuberante, que dê nas vistas, alerta a presa e morrerá de fome. O gato é também uma criatura pequena e pouco forte, pelo que evitar as atenções de animais brutamontes mais fortes é outra garantia de sobrevivência. Até em pequeno, o miar do gatinho é discreto porque é importante chamar a atenção apenas da mãe, mas passar despercebido para todos os outros.

Na natureza, ou como gato de rua, a descrição é amiga do gato. Por isso, o vosso amigo está programado para manter as suas deslocações em segredo, de todos, até do dono. O gato quer sair de casa e, por isso, miou para que tu lhe abrisses a porta, mas quer fazê-lo em segredo, sem que tu te apercebas. Se permaneceres ao pé da porta, olhando intensamente para o bichano, não lhe dás a oportunidade de se escapar furtivamente. Um olhar direto, no mundo dos gatos, é também sinal de agressividade. O teu olhar intenso intimida-o e constrange-o. Para que o teu gato saia, vai ao encontro dos seus instintos e finge que estás distraído. O gato examinará primeiro os arredores, para garantir que não existe nenhuma ameaça no exterior e, em breve, terás um vislumbre do teu amigo a sair pelo canto do olho. E pronto, podes voltar à tua vida sem mais interrupções! Pelo menos, por agora...

TRIPLES      

Este artigo já foi lido 2083 vezes



Lista de artigos publicados pelos alunos    Biblioteca